CONHEÇA MAIS SOBRE O ENREDO DE 2018

História Enredo 2018

Fonte: Youtube

JUSTIFICATIVA

Olubajé - Um banquete para o rei

África, força divina! Por séculos, vem de lá toda a força da natureza e dos Orisás que conduzem o mistério da vida, o segredo da doença e o remédio da cura.

O jogo do Ifá, consagrado do Candomblé revela que é tempo de oração e respeito. Nasce o dia! Surge a estrela da manhã: o sol, com toda a sua quentura. A terra se alimenta e nutre o corpo de vida e saúde. Do calor da natureza, grande pai e senhor, dono do Ayê.

O Império da Tijuca pediu agô por seu povo. Elevou as mãos ao céu e fez surgir um grito de fé. Da esperança verde e branca do Morro da Formiga, veio o clamor: atotô, ajuberu! Atotô, Obaluaiê!

Filho de Nanã, sua mãe biológica, que mesmo ao rejeitá-lo diante de sua fraqueza, por não entender que tu eras especial e que só ela seria capaz de gerá-lo, por caminhos não explicados; foi permitido pelo Criador, o destino de transformá-lo no senhor da quentura.

Obaluaiê vai viver e se curar nas mágicas águas salgadas do Reino de Olokun, no colo maternal e piedoso de Yá Omon Ejá (a mãe cuja os filhos são peixes) e dela recebe afeto, amor e a cura. Assim começa a nossa história.

O morro do Império da Tijuca curva-se diante de Ti, ó senhor para homenageá-lo, contando a tua história para milhões de pessoas que vão entender a tua vida, através desta ópera a céu aberto e assim para aqueles que não o conhecem aprenderem a amá-lo e respeitá-lo

Nos deparamos com uma incrível coincidência: as formigas do povo Iorubá (formigas e cupins), que são os símbolos de Obaluaiê na África, divindade da terra.

Suas incorporações mirins denominadas de erês, são batizados por esses nomes e o símbolo da escola, junto com a coroa imperial, são as formigas que também prestam o nome para este morro tão tradicional da comunidade carioca. Aí percebemos que o caminho era certo.

Com as formigas, palhas e suas pipocas, pedimos proteção para iniciarmos os nossos trabalhos.

Através do sopro divino da inspiração, o Império da Tijuca faz do seu enredo, um grande sirê para ver Obaluaiê dançar ao toque de opanijé. Chegou a hora! O ritual vai começar! Giram as baianas na avenida!

Entrem ao som do adjá! Todos querem ver o lindo balançar das palhas de Obaluiaê!

“Pai Obaluaiê, venha nos valer! Cubra o nosso pavilhão e abençõe a coroa da nossa sinfonia imperial. Que a terra sagrada, solo onde são lançadas as sementes de saúde e cura, seja a luz e o caminho para a vitória da nossa comunidade.”
Atotô, ajuberu! Atotô Obaluaiê!

Quadra

Rua Medeiros Pássaro, 84 – Tijuca
CEP 20530-070 – Rio de Janeiro / RJ

Barração

Rua de Catumbi, 15 – Catumbi
CEP 20251-440 – Rio de Janeiro / RJ

Tel (21) 21 2504 1921

Whatsapp (21) 9 8998 3566

Email:
Imprensa:
ascomgresimperiodatijuca@gmail.com

Administrativo:
luan.imperiodatijuca@gmail.com

Secretaria:
fantasia.imperiodatijuca@hotmail.com

bandeiras-atualizada

G.R.E.S.E Império da Tijuca © 2016 Todos os direitos autorais reservados. Desenvolvido por Estação Indoor